Header Ads


Espaço Amigos da Literatura: "A traição descoberta no Táxi" - Portal Vany Musik

Por: João Angelino
Revisão: Portal Vany Musik

O relógio indicava à hora 18 antes de ter tido acesso ao táxi em que a traição foi descoberta. Depois de ter tido acesso, os minutos avizinhavam à hora 19.
Apesar do pesar(demora), o conforto, a boa educação e a boa música, garantiam uma viagem agradável com destino a Cuca.

No entra e sai, acabei ladeada por duas belas senhoritas. A que se encontrava a minha esquerda, não desgrudava do telemóvel, e, a que se encontrava a minha direita, gentilmente, fomentou um assunto e convergimos pensamentalmente. 
Repentinamente, o telemóvel da senhorita que se encontrava a minha esquerda, vibrou e de uma ligação se tratava. Pelo que escutei, quem a ligou foi o "fofucho ". Indiscutivelmente, a ligação a tinha deixado mais animada.

Ao som do Puto Português, a viagem prosseguia agradável. Até que, uma ligação foi efectuada para o número de uma senhorita que tinha reservado um lugar. Pelo semblante e a alegria ao falar, o seu amigo ou amiga que ocuparia o lugar reservado, já se encontrava na paragem combinada. 

Se a mim fosse dito que aquela ligação tornaria a viagem desagradável, confesso que, não acreditaria.

" Pára gerente. O meu namorado está aí."-disse a senhorita do lugar reservado.
" Está bem, madrinha!"-respondeu­ o gerente.
Com beijos, o casal que ocupava os assentos de frente, saúdou-se.Pareciam felizes.
Inesperadamente, a senhorita que se encontrava a minha esquerda,efectuou uma ligação. Coincidentemente, o telemóvel do namorado da senhorita do lugar reservado, vibrou. Estupecfato, não quis atender. Desconfiada, a senhorita do lugar reservado, atendeu.
" Alô! Diz ao sujo do meu namorado que eu estou aqui"- Foi o suficiente para a estreia da confusão.

Não tinha como disfarçar. De um lado a namorada e do outro, a outra namorada.
Movida pela raiva, a senhorita que se encontrava a minha esquerda, literalmente, voou até o pescoço do namorado. Involuntariamente, o motorista, estacionou o carro.
" Cão de merda
Desgraçado

Sujo"- o rotulavam nas outras senhoritas...
Parecia novela. Se eu não fosse beliscado, afirmaria que de uma novela se tratava.
Diferente do que ouço e vejo, as namoradas do canalha, não agrediam-se fisicamente e muito menos verbalmente. Uma chorava e a outra sem cessar dizia:
" Toda traição é descoberta. Mas, a tua, foi no táxi"-daí o que inicialmente escrevi.
Apressado e muito chateado, o motorista os convidou a ficar no local em que nos encontrávamos. Convite aceite, viagem continuada. Sem música,sem conversa, sem nada. No destino, cada um por si mas unidos por um acontecimento. 
Se de uma traição se trata, não acho. Mas, é a visão da lesada, fazer o quê?
____________________­_____________
Só espero que ninguém tenha morrido!
Com tecnologia do Blogger.