Header Ads


Administradores municipais de todo país garantem no Huambo “Eficácia na execução do PIIM” - Portal Vany Musik

Por: Estevão Ngundia

No quadro do evento, que está a ser orientado pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel José Nunes Júnior, coincidiram em declarar à Angop  que vão cumprir, de forma escrupulosa, com os pressupostos legais para que o  PIIM alcance os objectivos desejados, tendo em conta a sua importância na elevação do bem-estar da população e melhoria da imagem dos municípios.
A administradora do município da Nhârea (Bié), Maria Lúcia Chicapa, referiu que só a execução do programa, com eficácia, permite que as acções previstas respondam aos anseios dos cidadãos, com vista a resolução dos problemas socioeconómicos.
Nesta vertente, informou estarem previstas acções de terraplanagem das vias de acesso, construção de escolas e de unidades sanitárias, para além da edificação de um campo polidesportivo, para responder às necessidades dos jovens locais e, por conseguinte, promover a prática desportiva, naquela municipalidade.
Ao fazer uma avaliação positiva do PIIM, o administrador do município do Bungo (Uíge), Panzo Joaquim, realçou a importância do programa na promoção do desenvolvimento das municipalidades, exigindo, para o efeito, um sério comprometimento dos gestores na execução, para que se obtenham os resultados preconizados (resolução dos problemas da população), à luz dos objectivos do Governo.
Cumprir com os objectivos do PIIM
Quem também se debruçou sobre este programa, lançado pelo Presidente da República, João Lourenço, a 28 de Junho deste ano, é o administrador do Tômbwa (Namibe), Alexandre Niuca, para quem os projectos só podem responder aos anseios dos cidadãos caso sejam executados com maior responsabilidade e dentro dos parâmetros legais.
Por sua vez, o gestor do município do Londuimbali (Huambo), Celestino Mela, referiu que a execução do PIIM exige, acima de tudo, maior cautela, não só por se tratar de um elemento novo, mas também para que sejam alcançados os objectivos esperados.
 Para o Londuimbali, referiu, estão previstos sete projectos, com destaque para a construção de dois postos de saúde, igual número de escolas,  terraplanagem de 23 quilómetros de estrada, sistemas de abastecimento de água e a melhoria do saneamento básico.
O PIIM abrange os 164 municípios do país e prevê a construção de quatro mil salas de aula, para vários níveis de ensino, cerca de 200 unidades hospitalares de diferentes categorias, assim como asfaltagem, terraplanagem e reabilitação de estradas, com prioridade para as secundárias e terciárias, para facilitar o escoamento da produção agrícola do interior para os grandes centros de consumo.
A ser implementado nos 164 municípios do país, o PIIM tem ainda como prioridades os sectores da educação, saúde, construção de vias, energia e água, bem como o saneamento básico. Inclui ainda projectos no domínio da segurança pública, com a construção e apetrechamento de esquadras de Polícia.
Participam do Fórum dos Municípios e Cidades de Angola, uma iniciativa do governo angolano, com término previsto para sexta-feira, ministros, os 18 governadores provinciais, acompanhados pelos vice-governadores, os administradores dos 164 municípios, parceiros sociais do Governo e convidados.
No primeiro dia do evento foram analisados temas como “O Ponto de situação da operacionalização do PIIM”, “A proposta do Orçamento Geral do Estado para 2020”, “O balanço do processo de reforço da desconcentração financeira”, “O programa de reforço da Desconcentração administrativa”, “Empoderamento da mulher para o reforço da estrutura da família e da redução da pobreza”.

FONTE: ANGOP/31 DE OUTUBRO 2019
Com tecnologia do Blogger.