Header Ads


Covid-19: Província do Huambo aperta cerco nas zonas limítrofes - Portal Vany Musik

Lotti Nolika, Governadora do Huambo

POR: Estevão Ngundia

Huambo - As autoridades da província do Huambo intensificaram, nos últimos dias, o controlo dos limites territoriais do planalto central, de modo a tornar mais eficaz as estratégias de prevenção e combate à gripe por coronavírus (covid-19).

Por este motivo, a governadora local, Lotti Nolika, deslocou-se aos postos fronteiriços da comuna do Cuima (Caála) e do Chinjenje, com objectivo de avaliar o grau de prontidão e, ao mesmo tempo, encorajar as equipas de trabalho a impedirem qualquer violação e negação do despiste da temperatura, por parte dos viajantes.
A jornada de campo da governante iniciou na zona limítrofe de Kaparacassa, três quilómetros da vila municipal do Chinjenje, com uma média diária de 500 passageiros, transportados entre 100 a 120 viaturas, idos das províncias de Benguela, Huíla e Namibe, assim como outros em sentido inverso.
Neste posto, a governadora Lotti Nolika foi informada que, além do despiste da temperatura (rastreio), os passageiros são obrigados apresentar os dados pessoais, número de telefone, origem e destino, além da matrícula da viatura, para os automobilistas, cujas viaturas são desinfestadas na totalidade.
Este mesmo trabalho, desenvolvido por técnicos da Saúde e dos órgãos de defesa e segurança, tem sido realizado no posto limítrofe da comuna do Cuima, com 300 passageiros em média diária, levados entre 50 a 70 viaturas, vindas das províncias da Huíla e Namibe, assim como no sentido inverso.
Na ocasião, a governante admitiu haver prontidão das equipas em serviço nos postos de rastreio, não obstante algumas dificuldades de ordem conjunturais, como a falta de alguns materiais de biossegurança, sendo que o fundamental (termómetros infra-vermelho) está assegurado.
“Na verdade, as questões apresentadas são de âmbito local, como a falta de álcool em gel e de iluminação, esta última no posto de Chinjenje, que deverá conhecer melhorias, nos próximos dias, pois que a província deve estar mais vigilante para não ser surpreendida com possíveis casos positivos da covid-19”, enfatizou.
Actualmente, a província conta com 101 cidadãos em quarentena, sendo 17 na institucional e 84 na domiciliar, depois de terem furado a cerca sanitária, com realce para a de Luanda, principal epicentro da doença no país.
Além destes, a província do Huambo tem montados igualmente postos de rastreio no município do Cachiungo, que liga a província do Huambo às regiões do Bié e Cuando Cubango, assim como no Alto-Hama, uma zona que permite a ligação com as províncias do Cuanza Sul, Bié, Benguela, sendo também a principal via que liga esta região à capital do país (Luanda).
Com uma extensão territorial de 34.270 quilómetros quadrados e uma densidade populacional estimada em dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, predominantemente Umbundu, a província do Huambo, com 11 municípios, é limitada pelas províncias do Cuanza Sul (Norte), Bié (Este), Huíla (Sul) e Benguela (Oeste).
Tem um Sistema de Saúde composto por 249 unidades sanitárias, num universo de duas mil e 126 camas em diversas enfermarias e 14 na Unidade de Tratamentos Intensivos (UTI), onde trabalham 308 médicos, três mil e 639 enfermeiros, 467 técnicos de diagnósticos e terapeuta, assim como 825 administrativos, além de outros profissionais indispensáveis para o seu normal funcionamento.
Com tecnologia do Blogger.