Header Ads


Covid-19: Governadora lança repto aos órgãos de Comunicação Social do Huambo - Portal Vany Musik

Por: Estevão Ngundia
Fonte: Angop/Huambo

Huambo - A governadora da província do Huambo, Lotti Nolika, instou ontem, quinta-feira, os órgãos locais de Comunicação Social no sentido de aumentarem a divulgação das formas de contágio e dos sintomas da covid-19, para uma melhor prevenção por parte da população.

A governante lançou o repto, em declarações à imprensa, no final de uma visita de constatação aos órgãos públicos e privados de difusão massiva, com o objectivo de inteirar-se do funcionamento dos mesmos, 15 dias depois de ter sido empossada no cargo, pelo Presidente da República, João Lourenço.
Na ocasião, disse ser fundamental que a Comunicação Social redobre esforços na divulgação das medidas de prevenção da doença, sobretudo, nesta fase de Estado de Calamidade que o país observa, marcado por algum aligeiramento das medidas, mas que ainda assim deve-se estar em alerta.
Segundo a governadora provincial do Huambo, por ser tratar de uma doença de fácil contágio, é importante que estes meios de difusão massiva veiculem mais informações capazes de aumentar o nível de consciência da população, relativamente à observância das medidas de prevenção.
Por isso, fez saber que estas acções constituem o maior desafio do Governo do Huambo, com o propósito de evitar que esta região, até ao momento sem registo de nenhum caso positivo, venha a ser assolada pela doença e, deste modo, comprometer a vida da população, tendo em conta a complexidade do tratamento dessa pandemia.
Lotti Nolika considerou o vírus da covid-19 “principal inimigo da actualidade, por atrasar o processo de desenvolvimento social das nações”.
“Por esta razão, impõe-se a obrigação de todos, com realce para os órgãos difusão massiva, enquanto instrumentos de mobilização social, um maior envolvimento na luta contra a propagação da doença, visando o bem-estar comum”, realçou a governadora.
Noutra parte das declarações, Lotti Nolika disse ter constatado, em função da especificidade de cada um dos órgãos visitados, haver condições mínimas para o exercício da actividade, sem esquecer, no entanto, algumas dificuldades apresentadas pelos respectivos gestores.
Sem fazer promessas, a governadora argumentou que o périplo iniciado nas instalações da Agência Angola Press (ANGOP) e terminado na emissora provincial do Grupo Rádio Nacional de Angola, serviu apenas para constatar a real situação e, ao mesmo tempo, interagir com os profissionais.
Lotti Nolika disse que constitui uma das suas prioridades procurar dar solução a alguns problemas dos órgãos de comunicação, como transportes e equipamentos informáticos.
Na ocasião, a governadora disse ser pretensão das autoridades locais voltar a realizar, depois de cinco anos de paralisação, o Prémio Provincial de Jornalismo, como forma de incentivar os profissionais no exercício da actividade informativa, com rigor e mérito.
Além da ANGOP e da Rádio Huambo, a governadora visitou ainda as instalações da Rádio Mais (emissora privada), das Edições Novembro, do Centro de Produção da Televisão Pública de Angola(TPA), da Rádio Ecclésia (emissora da Igreja Católica) e o centro de correspondência da TV Palanca.




Com tecnologia do Blogger.