Header Ads


Huambo: Clientes da ENDE acumulam dívida acima dos Akz 22 milhões - Portal Vany Musik

POR: Estevão Ngundia
FONTE: Angop/Huambo

Vinte e dois milhões, 245 mil e 538 Kwanzas (Akz) é o valor da dívida acumulada pelos clientes da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), na província do Huambo, durante os dois meses em que vigorou o Estado de Emergência, para prevenção da Covid-19.
Segundo uma nota institucional chegada ontem, sexta-feira à ANGOP, a referida dívida foi contraída pelos clientes do sistema pós-pagamento, nas redes de baixa e média tensão, entre particulares e empresas do sector público e privado.
O documento indica que, apesar de ser recorrente o facto de alguns dos clientes deste sistema não honrarem com as suas obrigações, estas cifras apresentam-se muito além do normal, tudo porque ao longo do mesmo período muitos abdicaram-se do cumprimento das suas responsabilidades, em função da má interpretação da declaração do Estado de Emergência e as respectivas prorrogações, por três vezes.
Argumenta que a declaração, sustentada pelo Decreto Presidencial nº 80/20, de 26 de Março, proibia a efectivação de cortes das ligações eléctricas, mas não anula as dívidas contraídas, tal como muitos consumidores entenderam.
Perante tal situação, lê-se no documento, os níveis de cobrança registaram, durante o Estado de Emergência, de 27 de Março a 25 de Maio, uma redução de 21 por cento, sendo que, no geral, com as dívidas anteriores os clientes acumularam um débito estimado em três mil milhões, 635 milhões, 333 mil e 257 kwanzas.
Estes devedores são, na sua maioria, clientes domésticos de baixa tensão e outros serviços do sector público e privado, ao passo que os organismos do Estados devem cerca de 349 milhões de kwanzas.
Para reaver os valores em causa, de acordo com o documento institucional, a ENDE vai exigir aos consumidores o pagamento voluntário até final do mês de Agosto, prazo estimado pelo Governo angolano, findo o qual serão realizadas acções coercivas, mediante cortes no sistema de fornecimento, pois que o não pagamento está a inviabilizar a execução de outros projectos, para a melhoria da rede de distribuição eléctrica.
Percurso da ENDE
A ENDE foi criada há seis anos e é resultado das reformas em curso no sector eléctrico, com a fusão das extintas empresas Nacional de Electricidade (ENE) e de Distribuição de Electricidade de Luanda (EDEL).
Além da ENDE, surgiram outras duas empresas: PRODEL – Empresa Nacional de Produção de Electricidade, e RNT – Rede Nacional de Transporte de Energia.
Em todo o país, a ENDE conta com mais de um milhão e 600 mil clientes, nas modalidades de pagamento pré-pago e pós-pago.
Já na província do Huambo ela controla 40 mil e 54 no sistema pós-pagos, de um total de 84 mil e 393 clientes, isto contando com os do sistema pré-pago, localizados nas cidades do Huambo e Caála, bem como nas vilas municipais do Bailundo, Londuimbali, Chicala-Cholohanga, Longonjo e Chinjenje.
Com tecnologia do Blogger.